MÚSICAS QUE NÃO CONSIGO PARA DE OUVIR


Vamos falar de música? Vamos falar de música. Esse é um tema que eu particularmente gosto muito e manjo de menos, para mim música boa é aquela que eu ouço e ela me conquista, e como faz muito tempo que não falo nada sobre música no blog, quero falar sobre isso hoje. 

Em tempos onde Lady Gaga lança um álbum arrasador e John Mayer milagrosamente lança uma música nova, não falar sobre o tema é quase um crime, então hoje quero fazer uma humilde recomendação de músicas novas e nem tão novas, que ultimamente está impossível de eu parar de ouvir. 

LOVE ON THE WEEKEND – John Mayer [Single]
É claro que o primeiro da lista não poderia ser outra pessoa, o dono das músicas que me definem e do melhor álbum que tive o prazer de ouvir, John chegou com uma música nova e viciante, que eu coloquei na repetição eterna, provavelmente pela eternidade. 


COME TO MAMA – Lady Gaga [Joane]
Como falei, Lady Gaga chegou chegando com um álbum novo, na verdade eu não faço ideia do que a crítica especializada falou sobre Joanne, mas a crítica lesada (aka eu) simplesmente amou e junto com Love On The Weekend, o álbum está na repetição eterna por toda a eternidade. Come To Mama se tornou, até o momento, a minha música preferida, junto com a já conhecida Perfect Illusion e Diamond Heart. 


FORMATION – Beyoncé [Lemonade]
Olha, não é muito difícil eu me encontrar na situação em que uma música faz um sucesso estrondoso, mas eu só vou realmente ouvir ela, e talvez viciar, um tempo depois. Formation foi um desses casos.


AGORA EU QUERO IR – Anavitória [ANAVITÓRIA]
Sim, eu tenho uma música br na minha playlist e isso é um milagre, não sei quando foi a última vez que tive uma música br no eu celular (mentira, eu lembro, é que era música da Ludmilla e eu tenho uma reputação a zelar). Conheci essas garotas lindas e charmosas através da minha irmã, que conheceu por causa de Tiago Iorc, e tenho que dizer: valeu Julia!


ME, MYSELF AND I (feat. Bebe Rexha) – G-Eazy [When It's Dark Out]
Outro exemplo de música que eu descubro depois de um tempo e simplesmente vicio. 


SHOUT OUT TO MY EX – Little Mix [Glory Days]
Little Mix está sendo exatamente como foi com One Direction, cada álbum novo que lançam, eu vou curtindo mais, eu já era bem fã do Get Weird, do qual eu já falei aqui no blog, agora elas vêm e jogam em nossa cara (e talvez na do Zayn) Shout Out To My Ex.


THE GREATEST (feat. Kendrick Lamar) – Sia [This Is Acting]
Além de Sia ter uma voz maravilhosa, clipes que até hoje não entendi o que querem dizer e músicas incríveis, uma coisa que sempre me atraiu ainda mais para, principalmente, ver os seus clipes é a maravilhosa Maddie, é um show a parte ver essa garota dançando (vou nem dizer que assisto Dance Moms só para ver ela dançando e as outras mães com sangue nos zóio, porque Abby dá todos os solos para a garota). 


THE HILLS – The Weeknd [Beauty Behind the Madness]
Sabe-se lá quando foi que The Weeknd realmente estourou, provavelmente na época em que 50 Tons de Cinza estreava no cinema, apenas nessas últimas semanas eu realmente vim dar valor à algumas músicas do rapaz, especificamente The Hills. 


YOU GOTTA NOT – Little Mix [Glory Days]
Como falei, Little Mix vem tomando aos poucos o meu coração com suas músicas (e suas roupas que fazem eu querer assaltar o closet de cada uma), nada mais digno do que citar outra música que vem conquistando o meu frágil coração. 


MISERY – Maroon 5 [Hands To Muself]
Essa é uma música que vai e volta em um ciclo vicioso em minha playlist, foi a música que realmente me fez tomar conhecimento da banda lá na época do seu lançamento, eu gostava tanto do clipe, que ela se concretizou com uma das minhas preferidas dos garotinhos bonitos. 


UNDER PRESSURE (feat. David Bowie) – Queen
Recentemente falei sobre o filme Se enlouquecer, não se apaixone e se você viu o post, notou que o vídeo que eu coloquei no post é uma cena onde os personagens cantam essa música, pois então, baixei essa música por causa do filme e ela se tornou uma grande companheira na jornada até as 50 mil palavras do NaNoWrimo, quando finalmente completei o desafio, comemorei ao som dessa música, então ela meio que ganhou um pedaço no meu coração.



Fecho a minha lista por aqui, você deve se perguntar “mas por que raios essa garota comenta tantas coisas sem importância sobre as músicas?”, a resposta é simples: só porque eu falo até pelos cotovelos. Depois de você passar por essa torturante experiência de me ver fazendo comentários nada profissionais ou técnicos sobre música, que tal me dizer o que você tem ouvido ultimamente? 



TERCEIRA SEMANA DO NANOWRIMO 2016


E chegamos a terceira semana do NaNoWrimo, se alguém rolou um pouco pelo blog, pode talvez ter visto o quadrinho onde deixei uma atualização praticamente em tempo real do meu desempenho no desafio, ou se rolou um pouco mais pode ver na caixinha do Twitter um claro tweet de comemoração, ou indo mais longe, talvez me siga no Tumblr, já está mais do que por dentro do que houve. 

EU CONSEGUI!!1111!1!!!11!


Sim! Eu fiz aquilo que eu não achei que conseguiria fazer, completei o desafio das 50 mil palavras ainda faltando um pouco mais de uma semana para fechar o mês. EU CONSEGUI! 

Acordei na segunda-feira já possuída pela expectativa, na verdade, esperava ter conseguido fechar no domingo, mas não foi possível, então combinei comigo mesma que não passaria da segunda-feira. Enfrentei uma pia de louça de almoço do dia anterior ainda, uma pilha imensa de roupas para passar, que eu não passei nem metade, e parti cumprir o meu desafio. Eu estava determinada que naquele dia eu alcançaria o desafio. 

Então, às vinte e uma horas e sabe-se lá quais minutos, eu finalmente alcancei as almejadas 50 mil palavras, coloquei fones de ouvido e dei play em Under Pressure, que foi uma grande companheira nessa jornada e comemorei silenciosamente, afinal tinha pessoas pela casa, gritar feito uma louca não parecia uma boa opção. 

Eu chorei, chorei feito uma criança, mas uma criança tomada pelo mais puro sentimento de conquista, eu não conseguia acreditar que tinha conseguido completar o desafio, queria gritar para o mundo inteiro o quanto estava orgulhosa da minha conquista, uma conquista que eu não acreditava que conseguiria, ao menos não no dia 21 de novembro. Eu fora tão mal no NaNo anterior, que entrei esse ano pensando “vou até onde conseguir, que ainda assim vai ser mais do que qualquer coisa que tentei até hoje” e eu provei para mim que eu posso sim. 

É um sentimento indescritível, que só me faz pensar “Deus, quero passar a minha vida escrevendo”, eu quero poder sentir mais disso!

Terminei a noite falando sobre a minha conquista no grupo oficial do NaNo no Brasil, afinal é algo para se comemorar e quem sabe até inspirar outras pessoas a continuarem o desafio até o dia 30. E tenho que dizer: agora ninguém me segura!


SEGUNDA SEMANA DO NANOWRIMO 2016


Basicamente era para esse post ter saído no dia 16, mas digamos que eu meio que esqueci completamente, principalmente por ter passado o feriado em um acampamento, quase esqueci da vida fora dele. 

A primeira semana do NaNoWrimo foi finalizada com muita felicidade, eu estava com a animação em níveis que nunca tinha sentido, e terminei o dia 09 com cerca de 18 mil palavras, o que era um número bem surpreendente para quem não tinha chego nesse número na edição anterior do NaNo. Falei sobre o temor de toda essa animação ir embora em algum momento, pois quem costuma escrever histórias entende bem o quero dizer quando falo que tem hora que desanima e você não quer mais escrever aquela história, pois fiquei com um baita medo disso acontecer, mas segui escrevendo. 

Eu estaria mentindo se dissesse que em alguns momentos eu não me senti um pouco cansada, ou pensava “será que essa história é legal mesmo?”, as vezes batia um leve desanimo, porém é com felicidade que digo que foi coisa momentânea, pois eu mesma fazia o favor de espantar esse sentimento escrevendo ainda mais e continuando a planejar as partes ainda não muito definidas da história.

Pois fecho essa madrugada de 18 de novembro com incríveis 39.676 palavras, é o mais longe que eu em algum momento cogitei chegar. Cada vez que eu olho esse número, ou aquele pequeno número que falta para completar as 50 mil palavras, meu queixo vai no chão e volta, não imaginei que chegaria tão longe, principalmente com todos esses temores de bater um desânimo, ou acabar com os burros na água em algum momento da história. 

Conforme a história vai andando, e diga-se de passagem, está meio escrito de qualquer jeito, o negócio vai crescendo ainda mais, que acredito que dificilmente vai parar nas 50 mil palavras, mas independente se tenham que ser 55 mil palavras, ou 100 mil, o importante está sendo todo esse sentimento de felicidade que esse desafio está me trazendo, estou dando um tapa na minha própria cara e mostrando que posso sim escrever muito se eu me esforçar, eu só preciso parar de escutar aquela voz da preguiça que sussurra no meu ouvido quando penso em escrever. É como aquela frase faça a sua própria sorte, pois estou fazendo a minha própria inspiração. 


TAG: NETFLIX


Eu vi essa tag no blog da Beatriz, o Vestindo o Tédio (que por sinal, se você não conhece, confere aí!), e acho que não deve ser segredo algum que eu sou fã da Netflix, estou sempre falando dos filmes e séries que vejo no site, é muito amor que mal cabe em mim, então como boa fã que eu sou, não podia simplesmente deixar essa tag passar.


Quais são seus seriados favoritos para assistir no Netflix?
Não assisto muitas séries e as que assisto basicamente são originais da Netflix, não tem como eu escolher apenas uma, então vou dizer Demolidor e Stranger Things, meus bebezinhos.

Qual foi o último filme ou seriado assistido no Netflix? O que achou?
Até o momento que estou escrevendo esse post são: Very Good Girls (filme) e The Crown (série). Sobre Very Good Girls eu até pretendo falar sobre mais para frente, mas já adiantando, é um filme interessante, mas eu não gostei muito, não rolou um feeling entre nós e eu dei play nele pensando justamente o contrário, que eu gostaria por conta do tema. Quanto a The Crown, eu só assisti um episódio ainda, mas se a Netflix pagou 10 milhões de obamas para produzir a série, não deve ser algo ruim (quem está assistindo na verdade é minha mãe e ela está curtindo).


Vale deixar um gif desse moço bonito de Very Good Girls.

Se você pudesse escolher qualquer série, antiga ou nova para estar no Netflix, qual seria?
Eu acho que New Girl, assisti alguns episódios na televisão outro dia e achei a série divertida, procurei na Netflix e fiquei chateada por descobrir que não tinha. Eu peguei a série totalmente ao acaso na televisão, era um daqueles momentos que você fica zapeando procurando o programa menos pior e deu que descobri New Girl em uma dessas aventuras, mas não gosto de acompanhar série pela televisão, então já fica a dica Netflix ;)

Qual a sua maior reclamação sobre o Netflix?
Eu gosto tanto da Netflix, que praticamente não reclamado dessa linda, de verdade! Talvez poderiam atualizar com mais frequência filmes mais recentes, mas não é algo que me incomoda pra valer, pois com tanto filme para ver e rever (isso sem citar as séries), posso me distrair facilmente enquanto espero algo novo.

Quais são seus itens essenciais para uma maratona no Netflix?
Um sofá vago para me esticar e um pote de pipoca.

Você já assistiu alguma série original Netflix? Gostou?
Eu praticamente assisto só as originais, ver aquele “Original Netflix” parece que me atrai para a série (e os filmes também). Eu estou simplesmente amando essa parceria Marvel/Netflix, eles estão fazendo um trabalho maravilhoso com os heróis, Demolidor é a minha preferida, outras originais que assisti e gostei muito foram Stranger Things e Unbreakable Kimmy Schmidt, basicamente já falei das três séries aqui no blog.

Qual foi o último filme que você adicionou ao 'minha lista'?
O Maior Amor do Mundo.

Qual sua indicação de filme ou série?
Stranger Things sempre! Além de Unbrekable Kimmy Schmidt, para quem gosta de algo mais curto e quer dar muita risada, Demolidor, outra que vou sempre recomendar. Tem Luke Cage também, série incrível, com uma trilha sonora digna, e não nos esqueçamos de Jessica Jones. De filme tem The Fundamentals Of Caring, com o Paul Rudd, que também já falei sobre aqui no blog.

E não deixe de seguir o CATS nas redes sociais: Facebook // Twitter // Tumblr // Ask fm

PRIMEIRA SEMANA DO NANOWRIMO 2016


Novembro veio e com ele chegou o aguardado NaNoWrimo, ou National Novel Writing Month, que caso você não saiba do que se trata, basicamente é um projeto que nasceu lá nos EUA, que consiste em você escrever um livro em um mês, ou 50 mil palavras de uma história, o que é palavra para caramba. No ano passado eu tentei participar, até tem dois posts sobre isso aqui no blog, onde comecei animada e no fim deu ruim (entenda aqui e aqui). 

Eu estou voltando com a ideia de semanalmente falar sobre o desempenho e os ensinamentos que o NaNoWrimo está trazendo, se eu vou cumprir o desafio eu não sei, mas é aquela história: nóis tenta

Depois do fiasco do ano passado, eu estava decidida a entrar com o pé direito esse ano e ir fundo na história para alcançar as almejadas 50 mil palavras, eu até comecei o planejamento de uma história cerca de dois meses antes do NaNo, eu estava super ansiosa para que chegasse de vez o dia primeiro de Novembro e eu pudesse finalmente começar a escrever essa história. 

Bom, o dia primeiro chegou e eu embarquei no desafio, mas logo de cara a coisa desandou. Deu que no mesmo dia eu fiquei doente, passei tão mal que dormi praticamente o dia inteiro e ainda fui ao hospital a noite. Finalizei o primeiro dia com quase 500 palavras escritas, sendo que a média diária para completar o desafio nos 30 dias do mês é de quase 1700 palavras. 

Passado esse péssimo dia (literalmente!), já me sentindo melhor no dia dois, voltei a me concentrar na história, o começo da mesma estava um pouco enrolado, não estava rolando muito sentimento entre a história e eu, mas não é muito difícil o começo ser realmente chato, as vezes você precisa se arrastar em um começo mais ou menos, para se empolgar no que vem a seguir, por conta disso relevei a falta de sentimento e continuei em frente. 

Pois chegou o terceiro dia e nada de acontecer uma conexão entre criadora e criatura, começava a ficar um tanto maçante seguir em frente com aquela história e eu começava a duvidar que iria realmente rolar um feeling ali, então pensando um pouco de cá, planejando um outro tanto de lá, decidi rapidamente trocar a história inscrita no NaNo e de repente tudo aquilo que eu não tinha escrito em três dias com uma história, eu escrevi em um único dia com a outra história. Eu escrevi em um dia mais de 5 mil palavras!

Os dias seguintes eu praticamente vivi em um ritmo frenético de escrita, terminei o dia 7 com mais de 18 mil palavras, o que é um número maior do que tive a capacidade de chegar no ano passado (aproximadamente 12 mil palavras). Se eu estou animada? Tem fogos de artifícios saindo pelos meus ouvidos e eu não consigo me conter de tanta alegria.

E agora é esperar que as semanas seguintes sejam tão boas como essa foi, talvez seguir um pouco menos frenética e alucinada, pois escrevi em um nível insano, que não tinha tanta necessidade.

Se alguém também está participando, vamos se amiguinhos, esse é o meu perfil.